BIZARRAS CRIATURAS MUTANTES (BCM) [1]

O desequilíbrio ecológico, desastres naturais e a explosão demográfica são as causas mais prováveis do aparecimento no interior do Brasil de um ser mutante identificado pelos cientistas como homo bregus, popularmente conhecido como breganejo. As teorias mais aceitas indicam que se trata de um fenômeno involucionista, que fez surgir um ramo horizontal na escala ascendente da evolução do homo sapiens.

A mutação da criatura se deve ao derretimento da área do cérebro responsável pelo bom gosto, fato cujas causas são ainda desconhecidas pelos cientistas. Concomitantemente ocorrem profundas alterações nas cordas vocais desses indivíduos, levando-os a emitir ondas sonoras características, uma inusitada mistura de tons e semitons altamente prejudicial aos cérebros de indivíduos normais, que dessa forma passam por idêntica mutação. É fenômeno semelhante ao dos lendários vampiros, que ao se alimentar do sangue de pessoas normais as transformam em novos vampiros.

A terceira característica comum a tais criaturas, também motivo de polêmicas entre os pesquisadores, é a sua incapacidade de ter vida autônoma e independente, o que freqüentemente os leva a reunir-se dois a dois (veja foto). Essa forma de hermafroditismo bicorpóreo os torna gêmeos siameses unidos não pelos corpos, mas por ondas cerebrais e sonoras interdependentes.

De acordo com alguns cientistas, há indivíduos normais resistentes à ação dos breganejos. A razão para isso parece ser o desenvolvimento de bom gosto musical desde a infância, o que lhes criaria uma capa protetora eficiente. Ouvidos moucos também são excelente proteção. Os cientistas, no entanto, divergem quanto ao grau de resistência e vulnerabilidade. É conhecido o caso de um cineasta brasileiro que, ao realizar um filme sobre essas criaturas, foi inoculado pelo veneno sonoro e tornou-se um deles. Também há registros de casos de contaminação de pesquisadores, jornalistas, artistas e até um presidente da República (o que, convenhamos, não quer dizer muita coisa).

A mutação dos homo bregus tem sido muito explorada pela indústria musical, devido ao seu alto potencial lucrativo, o que torna ainda mais difícil a sua cura, devido aos altos investimentos na disseminação da doença - ou seja o que for esse fenômeno, que alguns cientistas insistem em inserir na categoria de desarranjo psicossocial, e não de doença.

Sabe-se, com certeza, que é ocorrência extremamente contagiosa, podendo alastrar-se por comunidades inteiras. Há casos conhecidos até em países civilizados, o que leva muitos cientistas a alertar para um perigo que talvez seja maior que originalmente suposto. De acordo com esses estudiosos, há teoricamente o risco de toda a civilização humana ser afetada, o que reduziria os resistentes a uma pequena seita.
Postar um comentário