ADEUS A ANTONIO OLINTO

A notícia da morte do escritor e acadêmico Antonio Olinto, ocorrida no sábado, 12 de setembro, causou-me tristeza. Com uma obra que abrange poesia, romances, ensaios, crítica literária e análise política, Olinto era também um especialista em história e cultura afro-brasileira. Durante cerca de 20 anos foi crítico literário do O Globo. Seus livros foram traduzidos para 19 idiomas. Não o conheci pessoalmente, mas guardo com orgulho o texto que ele escreveu em maio de 2006, em sua coluna no jornal carioca Tribuna da Imprensa, sobre meu livro de poemas Arqueolhar. Mais que os superlativos, o que me chamou a atenção foi a sua leitura cuidadosa e aprofundada, aquela que dá ao autor a sensação de que publicar o livro valeu a pena.
Postar um comentário