POESIA CENSURADA

A imprensa tem noticiado nos últimos dias a demissão, pela Escola Parque do Rio de Janeiro, do professor de literatura Oswaldo Martins, dedicado mestre que lecionava para as turmas de sétima e oitava séries do Fundamental. Martins é poeta. Tem quatro livros de poesia publicados pela editora carioca 7 Letras. O mais recente é Cosmologia do Impreciso, de 2008.

A Escola Parque é uma escola de classe média alta, que segundo a Folha de S. Paulo, cobrava mensalidade de R$ 1.161 dos alunos de suas unidades da Barra da Tijuca e da Gávea. O slogan da instituição: "Uma escola que estimula a expansão cultural."

Por que Oswaldo Martins foi demitido? Alguns pais de alunos "descobriram" que ele escreve poemas eróticos e pediram sua cabeça. Como se escrever poemas eróticos fosse uma atividade ilegal, criminosa, a escola atendeu ao pedido.

Oswaldo Martins é formado em letras pela PUC, mestre pela Universidade Estadual do Rio, com a dissertação Erotismo e gramática, índices da defloração - uma leitura de Manoel de Barros. Na Universidade Federal Fluminense, prepara doutorado com tese sobre o poeta italiano Pietro Aretino (1492-1556), conhecido autor de poesia erótica.

A Escola Parque promoveu em setembro uma semana literária. Martins foi convidado a comentar seu processo de escrita. Depois de ouvi-lo falar de sua paixão pela literatura, os estudantes foram à internet e descobriram seu blog, onde publica alguns de seus poemas. Não durou muito para que o pedido de demissão chegasse à escola. No dia 11 de setembro, foi demitido.

A hipocrisia da direção da escola e dos pais de alunos é incomensurável. Ou será que pensam mesmo que jovens de 14, 15 anos não sabem o que é sexo e não pensam no assunto? Será que vão proibi-los de ler Capitães de Areia, de Jorge Amado?

Sexo faz bem à saúde e derruba máscaras. Que Oswaldo Martins possa, agora, escrever seus poemas em paz.
Postar um comentário